Início » Morte de Paulinha pode gerar condenações por homicídio e estelionato

Morte de Paulinha pode gerar condenações por homicídio e estelionato

PUBLICIDADE

De acordo com o jornal Diário do Nordeste, os profissionais que indicaram os remédios para Paulinha podem ser condenados

A cantora Paulinha já tem uma semana desde o seu falecimento, que, no seu laudo, foram encontrados fármacos que foram receitados para sua perda de peso, onde comprometeram os rins antes de sua morte, por conta da quantidade de substâncias para o rim filtrar. A cantora vinha se sentindo mal desde o início de fevereiro, e seu caso foi se agravando cada vez mais até que ela veio a falecer. Desde então, a preocupação com remédios e fórmulas mágicas para emagrecimento tomou uma proporção inimaginável na web. De acordo com o Diário do Nordeste, os profissionais que indicaram os remédios para Paulinha podem ser condenados.

O laudo mostrou que o fígado e os rins da artista estavam muito sobrecarregados com a quantidade de remédios exagerada. Uma reportagem feita pelo Domingo Espetacular nessa semana mostrou que uma receita de Paulinha continha 17 substâncias para o tratamento de vários sintomas: depressão, falta de memória, concentração, emagrecimento, entre outros, todos sendo usados com irregularidade para o emagrecimento.

Ainda de acordo com o Diário do Nordeste, é provável que alguns profissionais da área (ou não) tenham receitado tais medicamentos encontrados no corpo de Paulinha. Caso seja comprovado que eles são os responsáveis pela morte da artista, eles poderiam ser condenados por homicídio culposo se o Juiz que julgasse o caso visse a situação como negligência, imprudência ou imperícia. Neste caso, a pena varia de um a três anos.

Além do que, os profissionais podem também ser condenados por estelionato se a justiça condenar os culpados pela prescrição dos medicamentos se confirmar que foi feit para poder ter uma vantagem ilícita. Se tudo isso se confirmar como vedade, essas pessoas que prescreveram os medicamentos também serão julgados se forem profissionais, assim sendo, de acordo com os códigos de ética de cada profissão.