Carregando Notícia
Saúde

Você conhece esta erva? Ela cresce pelas ruas e quintais, e tem um grande poder de ajudar a controlar o diabete e ajuda a combater a anemia

É excelente para a pele, por conter grandes propriedades antibacterianas, nutritivas entre outras

PUBLICIDADE

A urtiga é uma planta medicinal da espécie Urtica dioica, também conhecida como urtigão, ortiga ou urtiga-maior. A erva é rica em vitaminas A, C e K, polifenóis, flavonóides e minerais como cálcio, ferro e magnésio, com ação anti-inflamatória e antioxidante, sendo bastante utilizada como remédio caseiro para controlar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue, além de auxiliar no tratamento da artrite e do reumatismo.

PUBLICIDADE

Normalmente são utilizadas da urtiga a folha, que pode ser usada na forma de chá, ou a raiz, utilizada na forma de cápsulas, podendo ser encontrada em ervanários, lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação, mercados e algumas feiras livres, e deve ser usada com indicação médica.

Lamium album, conhecida como urtiga branca, sendo essa a outra espécie que possui propriedades diferentes da Urtica dioica, sendo indicada principalmente para problemas ginecológicos como cólicas menstruais, sangramento ou inflamação no útero.

As principais indicações da urtiga, além das quais já foram citadas acima  :

  • Ajuda no combate contra a caspa, queda de cabelo e deixa os fios mais brilhantes e fortes;
  • Osteoartrite;
  • Diabetes;
  • Rinite e tosse alérgica;
  • Acne;
  • Dermatite;
  • Dor muscular;
  • Inflamação nas gengivas;
  • Anemia;
  • Infecção urinária;
  • Pedra nos rins.

Modo de preparo para fazer o chá de urtiga

–  Adicione 1 colher (de sopa) de folhas secas de urtiga, em 1 xícara da água fervente e deixar repousar por 10 minutos. Espere ficar morno, depois coe e beba até 2 xícaras por dia.

Outra forma de usar a urtiga para obter seus benefícios, é na forma de cápsulas que pode ser tomada 1 cápsula de 400 mg, de 2 a 3x por dia, conforme orientação médica.

Possíveis efeitos colaterais

Consumida em quantidades maiores do que as recomendadas, podem causar dores estomacais, diarreia, prisão de ventre, alergias ou coceira na pele, ou aumento das contrações uterinas, no caso de mulheres, o que pode aumentar os sintomas de cólicas ou causar aborto.

Além disso, a erva pode reduzir muito a pressão arterial e dificultar o controle da pressão sanguínea em pessoas com hipertensão ou reduzir demais os níveis de açúcar no sangue causando crise de hipoglicemia em diabéticos.

Quem não deve usar ⇒ mulheres grávidas pois pode causar contrações uterinas e induzir o parto prematuro, causar o aborto ou malformações no bebê. Também não deve ser usada durante a amamentação, pois não são conhecidos os efeitos tóxicos no bebê.

Outras pessoas que nas quais não devem utilizá-las : indivíduos com insuficiência renal ou com problemas cardíacos como a insuficiência cardíaca, porque pode piorar os sintomas de suas condições.