Carregando Notícia
Saúde

Saiba o que são essas pequenas bolhas que aparecem nas mãos e como tratá-las

É uma doença de origem desconhecida e não-contagiosa, podendo acometer ambos os sexos e em qualquer idade

PUBLICIDADE

Essas bolhinhas cheias de água, é conhecida pelo nome científico disidrose ou eczema desidrótico ou palmoplantar. É um grau de dermatite crônica que atinge a sola dos pés e a palma das mãos, levando ao aparecimento de pequenas bolhinhas medindo em torno de 2 a 3 cm podendo ocasionar desconforto.

PUBLICIDADE

Essa doença atinge, principalmente os adolescentes e adultos, ocorrendo com mais frequência na faixa etária de 20 a 40 anos, porém com uma frequência bem menor também pode afetar crianças e idosos.

As causas são completamente definidas, mas existem vários fatores de risco que já foram identificados e sendo eles os mais comuns :

  • Histórico pessoal ou familiar de dermatite atópica, dermatite de contato, asma ou rinite alérgica.
  • Exposição a metais que costumam causar alergia, como níquel ou cobalto.
  • Exposição a agentes irritantes.
  • Infecção de pele ocasionada por fungos, mesmo que seja distante das mãos e pés, como micose de virilha.
  • Uso de imunoglobulina por via intravenosa.
  • Hiperidrose (suor excessivo).
  • Tabagismo.
  • Exposição à radiação ultravioleta.
  • Estresse físico ou emocional.
  • Predisposição genética.
  • Infecção pelo HIV.

Desidrose

Os sintomas dessa doença geralmente acontecem com coceira nas mãos, seguida por um aparecimento repentino de bolhinhas nas palmas, dedos e região lateral das mãos, ou nas solas dos pés, que podem ser pruriginosas ou dolorosas

Em torno de 70 a 80% dos pacientes, acometem somente as mãos. Em casos mais leves, podem surgir apenas na face lateral dos dedos das mãos, ocupando uma região bem limitada, e somente 10% dos pacientes com desidrose apresentam lesões exclusivamente nos pés, poupando as mãos.

Geralmente sua duração permanece em torno de 3 a 4 semanas, depois desidratam e desaparecem, provocando descamação da pele. Podendo ser recorrentes esses episódios, a disidrose tem recaídas todos os meses, ou eventualmente surgindo em torno de uma vez por ano.

Tratamento  por ser uma doença recorrente e os pacientes, sofrem ataques frequentes por muitos anos é possível com o envelhecimento, esses episódios tendem acontecer com menos frequência e uma parte considerável dos pacientes acabam ficando livres dessa doença em algum momento da vida. Vale lembrar que é muito importante sempre buscar ajuda com um especialista, como os dermatologistas pois dessa forma lhe dará o melhor método de tratamento.

Os cuidados visando a redução da irritação da pele e restaurar a barreira incluem:

  • Utilizar água morna e produtos de limpeza sem sabão para lavar as mãos.
  • Secar bem as mãos após a lavagem de forma cuidadosamente.
  • Aplicar cremes hidratantes após a secagem das mãos ou dos pés.
  • Usar luvas de vinil com forro interno de algodão ou outras luvas que não sejam de látex para realizar tarefas domésticas com água.
  • Retirar anéis, relógios e pulseiras antes de molhar as mãos.
  • Usar luvas de proteção em clima frios e usar luvas específicas para tarefas em que haja atrito.
  • Evitar contato com substâncias irritantes, como detergentes, solventes, corantes capilares ou alimentos ácidos).
  • Evitar bijuteria feita com níquel ou cobalto.