Carregando Notícia
CuriosidadesSaúde

Mulher descobre ser alérgica ao próprio bebê durante gravidez; quadro pode acontecer com qualquer uma

A penfigoide gestacional, também é conhecida como “herpes gestacional”, por ser uma doença rara, ela atinge 1 em 50 mil gestações

PUBLICIDADE

Durante a gravidez Fiona Hooker de 32 anos, teve uma condição bastante rara durante a sua gestação. Com 31 semanas de gestação e a mãe de primeira viagem desenvolveu placas na cor vermelha por todo o corpo, como uma alergia do próprio bebê que estava gestando.

PUBLICIDADE
Segundo Fiona, pareciam manchas de urtiga que coçavam e pioravam a cada dia que passava, para aliviar esses sintomas, seus médicos receitaram cremes esteroides, mas infelizmente nenhum deles resolveu a gravidade das manchas e coceiras.

A mãe de primeira viagem, relatou que essa condição chegou na pior fase quando o bebê nasceu, tanto que era extremamente difícil ela segurar o filho no colo. Após o parto os médicos chegaram a um diagnóstico, dizendo que ela teve Penfigoide Gestacional, que é um distúrbio autoimune que é raro e é causado pelo sistema imunológico, atacando de forma errônea a própria pele.

Eles acham que pode ter a ver com o bebê – algo no DNA do pai faz com que a placenta comece a atacar uma proteína que também está na pele, então meu corpo estava atacando minha pele.Meu filho deve ter um gene do pai dele que minha filha não pegou porque eu não o tive na minha primeira gravidez”, contou Fiona em uma entrevista concedida para a imprensa.

Depois desta experiência traumática, o casal resolve não ter mais filhos. Fiona conta que nunca tinha ouvido falar sobre essa condição, porém ela espera aumentar a conscientização sobre a doença através da divulgação sobre sua história.

“Uma vez desencadeada, essa condição é agravada por certos hormônios, então a cada ciclo menstrual eu posso ter pequenos surtos. Isso significa que eu posso ter alguns sintomas para sempre, mas não tão ruins quanto antes”, concluiu.

Penfigoide gestacional

É uma condição que acontece e aparece em forma de bolhas em erupção que podem aparecer durante o período gestacional ou até depois do parto. O diagnóstico pode ser confirmado de forma clínica, ou através de um exame de biópsia de pele.

De acordo com o Manual MSD ( Merck Sharp and Dohme ), a doença parece ser um fenômeno autoimune, que provavelmente seja causado por anticorpos do tipo IgG  ( é o anticorpo produzido na fase mais tardia da infecção ).

Geralmente, as erupções começam na região do umbigo e em seguida, se espalham pelo corpo todo. As palmas das mãos, plantas dos pés, tronco, região glútea e extremidades podem ser afetadas, normalmente, a face e as mucosas permanecem ilesos.

A penfigoide gestacional, também é conhecida como “herpes gestacional”, por ser uma doença rara, ela atinge 1 em 50 mil gestações e o tratamento é feito com corticoterapia tópica ou sistêmica.