Carregando Notícia
Saúde

Infarto feminino: sintomas que costumam passar despercebidos

Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 17 milhões de pessoas ao redor do mundo sofrem infarto anualmente

PUBLICIDADE

O infarto na mulher é geralmente silencioso, ou seja, que muitas vezes não ocorre os sintomas clássicos como dor forte no peito ou sensação de aperto. Algumas mulheres podem estar tendo um infarto, porém podem confundir os sintomas com problema de gastrite, gases ou ansiedade, por exemplo.

PUBLICIDADE

A diferença do infarto em mulheres para o dos homens é que de acordo com o HCor ( Hospital do coração ), as artérias femininas são 15% mais estreitas que as masculinas e o coração pode bater 10% mais rápido do que nos homens, gerando uma maior deterioração.

Os principais sintomas de infarto na mulher são:

  • Enjoo e mal estar geral;
  • Cansaço excessivo sem motivo aparente;
  • Sensação de falta de ar;
  • Desconforto na garganta, como se tivesse algo preso;
  • Dor ou desconforto no queixo;
  • Batimentos cardíacos irregulares;
  • Dor no ombro;
  • Dor na região do estômago;
  • Articulações apresentando dores;

Esses sintomas podem surgir em momentos de repouso e tranquilidade. Além disso, podem surgir em conjunto ou separados, podendo muitas vezes ser confundidos pela mulher por situações mais simples, como uma gripe chegando ou um problema de digestão, por exemplo.

Ainda assim, se surgir dor forte no peito, em forma de aperto que no qual  não melhora, podendo ser sinal de infarto, por isso é aconselhado que vá no hospital ou chame uma ajuda médica.

Fatores de risco
  • Fumantes;
  • Consumo em excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Histórico familiar de doença cardiovascular;
  • Faixa etária (principalmente acima dos 60 anos);
  • Colesterol alto;
  • Hipertensas;
  • Diabéticas;
  • Sobrepeso ou obesidade;
  • Ausência de uma boa noite de sono;
  • Estresse excessivo;
  • Sedentarismo e má alimentação.

Prevenção

A prática de exercícios físicos regulares e alimentação saudável combatem o sedentarismo, obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e fortalece o músculo do coração, reduzindo consideravelmente a probabilidade de um infarto e outras doenças também. Consultas periódicas ao médico, exames laboratoriais e de imagens passados pelo profissional da saúde.

Tratamento

Após o infarto a paciente deve ser orientada por um profissional cardiologista e que no qual podendo envolver medicamentos, como anticoagulantes e anti-hipertensivos, trombólise e até mesmo uma cirurgia, para melhorar a circulação do sangue para o coração, isso deve ser realizado no hospital devido ao risco de complicações como arritmias e insuficiência cardíaca.

Esse procedimento é feito através de um tubo, chamado cateter, que é colocado em uma artéria da perna ou da virilha, que percorre o corpo até o vaso sanguíneo que está afetado pelo coágulo e sofrendo o infarto.