Carregando Notícia
Saúde

Está é a vitamina que você deve consumir para se proteger do câncer de mama

No entanto, estudos adicionais são necessários para compreender completamente os mecanismos subjacentes, para obter melhora nas abordagens terapêuticas

PUBLICIDADE

Estudos recentes mostraram que todas as células possuem receptores para a vitamina D, isso significa que essa vitamina é de extrema importância para o ser humano estar saudável.

PUBLICIDADE

Segundo os pesquisadores da Universidade de Oxford, descobriram 2.776 pontos de ligação com receptores de vitamina D ao longo do genoma. Através dessa importante descoberta abre diferentes portas de pesquisas e tratamento com o uso da vitamina D, fazendo com que tenha uma ampla influência sobre a saúde humana.

A deficiência dessa vitamina tem sido associada com inúmeras doenças e múltiplos tipos de cânceres, como mama, colón e próstata, doenças autoimunes, cardiovasculares e neurológicas. Além disso, estudos recentes demonstram sua função nas doenças inflamatórias, por exemplo, as doenças inflamatórias intestinais (DII).

Estima-se que 30% a 50% das crianças e adultos estão sob o risco de deficiência da vitamina D. Sabe-se que a vitamina D regula o sistema imunológico, fatores que podem exercer efeito protetor na DII e que os níveis séricos aumentados de vitamina D tem se relacionado com menor risco de progressão e mortalidade com o câncer de mama.

No entanto, estudos adicionais são necessários para compreender completamente os mecanismos subjacentes, para obter melhora nas abordagens terapêuticas.

Outubro Rosa é o movimento internacional de conscientização para a detecção precoce e prevenção do câncer de mama.

O câncer de mama ocupa a primeira posição em mortalidade por câncer entre as mulheres no Brasil, com taxa de mortalidade ajustada por idade, pela população mundial, para 2019, de 14,23/100 mil. As maiores taxas de incidência e de mortalidade estão nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Os principais sinais e sintomas suspeitos : caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou com aparência casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas), que são locais onde ficam os linfonodos.

Fatores de risco

  • Obesidade e sobrepeso, principalmente após a menopausa;
  • Sedentarismo;
  • Consumo de bebida alcoólica e cigarro;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes, sem necessidade;
  • Histórico de tratamento prévio com radioterapia no tórax;
  • Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos;
  • Não ter filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Menopausa após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);
  • Ter feito terapia de reposição hormonal (estrogênio-progesterona), principalmente por mais de cinco anos;
  • Hereditários/Genéticos.

Foto-Câncer-de-Mama.png

Caso seja identificado em fase inicial, o tumor pode ser curável em até 98% dos casos, evitando a retirada do seio afetado e aumentando as chances de tratamento e cura.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil é recomendado que mulheres a partir dos 50 anos façam mamografia a cada dois anos. Já a Sociedade Brasileira de Mastologia, orienta que o exame seja feito anualmente a partir dos 40 anos.

ω Lembrem-se da importância de sempre fazer os exames de rotinas e idas aos médicos caso tenha alguma dúvida.