Carregando Notícia
Saúde

6 remédios aparentemente inofensivos que podem destruir você

A automedicação é extremamente perigosa

PUBLICIDADE

Muitas pessoas tendem a se automedicar, isso é muito mais comum do que realmente deveria ser porque a automedicação é muito perigosa, embora muitas vezes as pessoas usem analgésicos e antitérmicos, principalmente nesta época do ano em que a temperatura são menores, isso não é recomendado.

PUBLICIDADE

Este tema é sempre controverso porque algumas pessoas acreditam que tomar o medicamento repetidamente é bom, enquanto outras pensam que é muito prejudicial à saúde. Foi exatamente assim que perdemos o rei do pop, Michael Jackson, em 25 de julho de 2009, o cantor teve uma overdose em decorrência de medicação.

Camila Costa, professora do Departamento de Farmácia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), disse que o maior problema está no excesso. “Medicamentos como anti-inflamatórios, analgésicos, relaxantes musculares e antibióticos são perigosos se usados em grandes quantidades, geralmente acima do limite recomendado pela bula”, disse.

É extremamente importante e necessário ter muito cuidado com a automedicação, além do fato de que medicamentos só podem ser usados ​​com receita médica, analgésicos e antitérmicos também requerem atenção especial. Nestes tempos, é importante ler os folhetos informativos, incluindo.

Se você não pode ir ao médico com frequência, pelo menos procure uma farmácia antes de tomar qualquer medicamento, explicou Camila com mais detalhes: “Apesar desses profissionais não poderem fazer um diagnóstico, eles podem oferecer uma medida paliativa para tentar solucionar o problema daquele momento”.

Além disso, de acordo com as informações fornecidas pelo professor, se os sintomas persistirem, você deve definitivamente consultar um médico, porque há casos em que realmente não há saída, principalmente se houver dor ou uma sensação constante de desconforto. Pensando nisso, hoje trouxemos algumas drogas que parecem inofensivas, mas não são, confira:

Vitaminas

Se forem consumidos em grandes quantidades ou se houver problemas renais, o excesso pode não ser excretado do organismo, levando a um acúmulo da vitamina, também conhecido como hipervitaminose.

Aspirina

Pesquisas e estudos mostraram que o uso a longo prazo da droga pode causar mais mal do que bem. Os AVCs hemorrágicos também são mais comuns quando o paciente recebe o medicamento.
Anticoncepcional
Estudos mostraram que o risco de trombose venosa aumenta em mulheres que usam pílulas anticoncepcionais contendo o hormônio drospirenona. Segundo a pesquisa, as mulheres que usam a pílula têm um risco vezes maior de desenvolver trombose venosa profunda.
Paracetamol
Tomar muito acetaminofeno causa “overdose gradual”, o que pode levar a problemas no fígado e no cérebro e à necessidade de diálise ou respiração. A probabilidade de morte por essas complicações também aumenta.
Antibiótico
Seu uso excessivo tem incentivado a exposição de diversas bactérias a diversos antibióticos, que, devido ao seu mecanismo de defesa, sofreram alterações (mutações) para poderem conviver com as drogas e se tornarem resistentes.