Carregando Notícia
Notícias

Teoria do vírus chinês aumenta com atitudes do governo

Desde o início da pandemia muito se falou sobre a real origem do vírus, muitas teorias tem aparecido e algumas delas até fazem muito sentido. Mais uma atitude do governo chinês tem levantado novas questões, sobre a pena de 4 anos de prisão para uma jornalista que tentou relatar para o mundo a situação do início da pandemia no país.

A advogada Zhang Zhan mora em Xangai e no início da pandemia ela viajou até a cidade de Whuan para relatar o que estava acontecendo de fato na cidade que deu início a pandemia, ela começou a relatar nas redes sociais a real situação da cidade. Como hospitais super lotados, duras regras de confinamento e o vírus que era uma grande incógnita, a mulher foi presa em maio com a acusação de provocar distúrbios.

Em junho a mulher começou uma greve de fome, mais foi obrigada a se alimentar por sonda desde então. Ela não foi a única jornalista a sofrer repressão, mais três pessoas estão presas e aguardam seus julgamentos sobre as mesmas acusações.

Essa é a maneira do governo chinês não ser acusado de censura, segundo informações o primeiro caso confirmado de contaminação no país foi dia primeiro de dezembro de 2019. Porém ao que tudo indica é que o vírus já estaria circulando no país e que o governo chinês teria abafado o caso e omitido informações para todo o resto do mundo.

Outro fato que deixou a situação muito estranha foi a questão do governo omitir a gravidade da doença para os outros países, pois se o alerta tivesse sido dado talvez muitos lugares teriam se prevenido melhor antes de serem atingidos pelo vírus. O que aumenta ainda mais a desconfiança de que tudo pode ter sido intencional por parte da China e o resto do mundo,mas tudo não passa de teorias.