Início » Russos e ucranianos se enfrentam perto de Chernobyl, onde há um depósito de resíduos nucleares

Russos e ucranianos se enfrentam perto de Chernobyl, onde há um depósito de resíduos nucleares

PUBLICIDADE

As autoridades Ucranianas informaram que há combates perto de onde os resíduos nucleares de Chernobyl estão.

Nesta quinta feira (24), estão sendo registrados combates perto do depósito de resíduos nucleares de Chernobyl. As autoridades ucranianas informaram sobre o ataque, onde os russos chegaram invadindo após cruzar a fronteira com Belarus. Segundo um assessor do ministério do Interior Ucraniano, Anton Guerashtshenko, as “tropas dos ocupantes entraram na zona da usina de Chernobyl por Belarus”.

Ainda segundo Guerashtshenko: “os membros da Guarda Nacional que protegem o depósito oferecem uma resistência obstinada”, declarou.

Os presidente da Ucrânia, Volodymir Zelensky disse que as forçar ucranianas estão lutando para impedir que que as tropas da Rússia capturem Chernobyl. Vitaly Klitschko, prefeito da capital Kiev, disse que quatro estações de metrô serão usadas como abrigos antiaéreos.

“As forças de ocupação russas estão tentando capturar Chernobyl. Nossos defensores estão dando suas vidas para que a tragédia de 1986 não se repita”, escreveu Zelensky. “Esta é uma declaração de guerra contra toda a Europa”.

Em abril de 1986, um dos reatores de Chernobyl explodiu e a explosão resultou em emissões nucleares equivalentes à 400 bombas semelhantes a que foi lançada em Hiroshima, no Japão, no final da Segunda Guerra Mundial. A região ao redor da antiga usina não é habitável e é conhecida como Zona de Exclusão.

O embaixador da Ucrânia considera que Belarus traiu a Ucrânia. No entanto, o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, disse que pediu ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, para fortalecer a região ocidental da Belarus.

“Hoje (nesta quinta) li: ‘Por volta das 5 da manhã a fronteira ucraniana no trecho russo e bielorrusso foi atacada por tropas russas, apoiadas por Belarus’. Canalha! Nossas tropas não participam desta operação”, declarou Lukashenko em uma reunião com militares citada pela agência oficial de notícias “Belta”.

Lukashenko revelou o conteúdo de uma conversa telefônica que teve nesta manhã com o presidente russo, Vladimir Putin. “Ele me falou em detalhes sobre a situação e, o mais importante, sobre o desenvolvimento da situação. Como ele me disse, o objetivo da operação é pôr um fim ao genocídio do povo nas regiões de Donetsk e Lugansk”.