Início » Confira: Áudio do menino de 13 anos que matou a mãe e o irmão e deixou o pai em estado grave

Confira: Áudio do menino de 13 anos que matou a mãe e o irmão e deixou o pai em estado grave

PUBLICIDADE

Neste sábado (19), um menino de 13 anos confessou que assassinou a tiros sua mãe de 47 anos e seu irmão caçula, de apenas 7. Ele também tentou matar o pai, de 57 anos, mas não conseguiu, e o homem está em estado grave. De acordo com a polícia, o adolescente cometeu o crime pelo simples motivo de a família o proibir de usar o celular para jogar joguinhos e conversar com seus amigo. Ele disse que era muito pressionado a tirar notas boas.

O adolescente foi pego logo após os tiros e foi levado para a Delegacia de Homicídios e Entorpecentes da Polícia Civil em Patos. O menino esteve acompanhado de um advogado e de um parente também. O delegado Renato Leite está encarregado do caso.

Segundo o delegado Renato Leite, já é possível realizar a reconstituição dos fatos. O pai do adolescente, policial militar reformado, tinha ido à farmácia comprar um remédio para a esposa e, pouco antes de sair de casa, proibiu e retirou o celular dele, o que foi definido como sendo “a gota d’água” para o adolescente cometer o crime.

Quando o pai voltou da farmácia, encontrou a esposa morta, baleada quando estava deitada. Também encontrou o filho mais velho, o adolescente,com a arma na mão e pediu para ele soltar o revólver. Porém, o menino atirou no pai e o atingiu no tórax, deixando-o gravemente ferido. Ao e assustar com o barulho dos tiros, o irmão caçula correu para os braços do pai e deu um abraço, mas morreu também no local ao ser baleado pelas costas pelo irmão mais velho.

Também segundo o delegado, o adolescente, dapós atirar e matar a mãe e o irmão, e deixar o pai gravemente ferido, guardou o revólver do pai e ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O pai está internado em estado grave no Hospital de Trauma de Campina Grande.

No início, ele negou ter cometido o crime, fazendo até mesmo a polícia achar que ele foi vítima de uma chacina, sendo o único sobrevivente, porém ele acabou confessando mais tarde na delegacia.