Carregando Notícia
NotíciasTv e Famosos

César Tralli se pronuncia pela primeira vez após falecimento da mãe e presta homenagem: “Não tinha medo”

Depois da trágica morte da mãe, o apresentador César Tralli eesolveu quebrar o silêncio e deixou os fãs emocionados ao prestar uma bela homenagem para Edna Tralli

PUBLICIDADE

Depois da trágica morte da mãe, o apresentador César Tralli eesolveu quebrar o silêncio e deixou os fãs emocionados ao prestar uma bela homenagem para Edna Tralli, que perdeu a vida no último domingo (9), vítima de um acidente de avião junto com namorado, Euclides Brosch.

PUBLICIDADE

Através das redes sociais, o jornalista compartilhou uma sequência de imagens ao lado da mãe e aproveitou para agradecer todas as mensagens de carinho que está recebendo. “Gratidão. Muito obrigado pelas milhares de mensagens que me confortam tanto. E que chegam de todos os cantos”, começou ele.

Logo em seguida, ele falou sobre Edna“Minha mãe foi uma lição de vida desde o princípio da vida dela. Uma mulher que nasceu na roça, com mais 8 irmãos (3 homens e 6 mulheres ao todo). Uma mulher que na infância e juventude cortou cana-de-açúcar nos canaviais do entorno de Jaboticabal, interior paulista. Uma mulher que colheu algodão, que colheu amendoim e que vendeu o produto da sua colheita, do seu suor, de porta em porta e em estádio de futebol”.

“Uma mulher que enfrentou enormes dificuldades, sem jamais perder a doçura, o entusiamo e a alegria de viver. Uma mulher que não tinha medo de pedir ajuda. E que sempre carregava cestas básicas no porta malas do carro pra ajudar alguém no meio da rua. Sempre que eu me sentia triste ou abatido por algum motivo, eu pensava em minha mãe. Olha o que ela passou. Levanta a cabeça e vai à luta. À essa estrondosa resiliência, se somaram outros importantes aprendizados dela. Ética. Generosidade. Amor ao próximo. Otimismo. Compaixão. Fé inabalável”, continuou.

O apresentador da Rede Globo prosseguiu o texto e citou o padrasto. “Minha mãe Edna se despede de nós abruptamente aos 74 anos. Estava jovem. Feliz. Apaixonada. Voando -literalmente- com seu namorado Euclides, que foi piloto profissional na aviação civil por 36 anos. Outra perda irreparável também. Eu gostava demais dele. Queria tanto mamãe sonhando ainda mais alto ao lado do amor dela, mais perto também da minha caçula de 3 anos. Da irmã, de 13 anos. Mas hoje sinto que mamãe está perto da filha dela, Gabi. Minha irmã especial, amor infinito.”

“Enfim. Se eu puder continuar honrando o legado da minha mãe, isso já me trará muito conforto. É o que eu verdadeiramente busco. Aproveite muito mãe seu reencontro com a Gabi. Faça o que ela tanto amava: dançar. Dancem felizes aí com os anjos. Que eu seguirei daqui aplaudindo vocês. Gratidão eterna. Amor eterno”, terminou.