Carregando Notícia
CuriosidadesSaúde

Prevenindo o AVC: Sintomas comuns e atitudes para evitar o derrame cerebral

Cerca de 70.000 brasileiros morrem por ano, vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

PUBLICIDADE

Segundo dados revelados pelo Ministério da Saúde, cerca de 70 mil brasileiros morrem como vítimas do AVC, o Acidente Vascular Cerebral é atualmente uma das principais causas de morte no país entre homens e também mulheres. A doença é caracterizada pela grande falta de irrigação do sangue no cérebro, os neurônios também são afetados e a região não possui o acesso necessário aos nutrientes que são levados a eles por meio do oxigênio e morrem.

PUBLICIDADE

O AVC também pode acontecer pela falta dessa oxigena, dependendo também do tamanho da área afetada pode levar à morte, pode ter alguns sintomas leves ou sequelas para vida toda ou até mesmo levar a óbito, os derrames também acontecem de dois tipo, o isquêmico que atualmente são cerca de 80% dos casos e o hemorrágico atualmente são 20% dos casos. Muitas coisas também contribuem para esse mau funcionamento como é o caso da trombose, hipertensão, colesterol alto, faz com que a artéria fique muito obstruída e o sangue não vai do coração para o cérebro.

O AVC hemorrágico trata-se de uma grande hemorragia cerebral, os vários sintomas são dormência de um lado do corpo, dificuldades ao falar, desequilíbrio, a visão dupla, o paciente devem sempre ser levado rapidamente para o hospital para que ele possa passar por muitos exames e tomografia. No caso do AVC isquêmico pode ser também realizado o tratamento até 4 horas após o acidente, já no caso do hemorrágico é grave e tem que ser atendido mais rápido possível.

Segundo as informações da organização de saúde os fatores que levam o AVC na grande maior parte das vezes podem ser evitáveis, que é o caso da hipertensão, diabetes, colesterol alto, o sedentarismo, obesidade, tabagismo, problemas cardiovasculares e também abuso do álcool, dietas muito ricas em gorduras e em sal.

Também está relacionado a genética da pessoa, mas são muito menores as probabilidades, segundo o estudo após os 55 anos tem mais chances de ter um AVC e negros e orientais também são mais propensos a hipertensão.

“Se buscamos prevenir esses fatores de risco e temos uma boa qualidade de vida, a chance de apresentar um AVC diminui bastante. Todo paciente que apresenta subitamente fraqueza de um lado do corpo, dificuldade para mover os membros (braço e perna) – acompanhado de dormência ou não -, alteração na fala e na compreensão de palavras, tontura/desequilíbrio e alterações na visão, deve procurar imediatamente um serviço de urgência para realizar tratamentos que podem aumentar as chances de reversão da doença”, afirma Eduardo Melo, neurologista do HC-UFPE.

Redação

34 anos e cursando jornalismo em SP, já trabalho com notícias por aproximadamente 10 anos. Aqui cubro todas as notícias sobre o transito, capitais do país, reality shows e diversos assuntos diferentes. Email: [email protected]