Carregando Notícia
Curiosidades

Homem morreu abandonado por sua família em um asilo, mas o que ele deixou debaixo do travesseiro fez todo mundo chorar

Esta é mais uma triste história de um velho homem que foi totalmente abandonado por sua família em um asilo.

PUBLICIDADE

Esta é mais uma triste história de um velho homem que foi totalmente abandonado por sua família em um asilo, mas antes de morrer, ele resolveu escrever uma carta que comoveu a todos.

PUBLICIDADE

Os asilos, que são também conhecidos como casas de repouso, têm um grande problema: eles simplesmente abrigam os nossos, mas, raros são os que realmente dão o verdadeiro calor humano que é necessário para evitar males como é o caso da tristeza e a depressão.

O pior de tudo isso é que muitas famílias, ainda costumam usar os asilos para abandonar seus idosos. Hoje, nós vamos te contar a triste história de um velho senhor que foi totalmente abandonado por sua família em uma dessas casas. No final, ele então deixou apenas uma carta emocionante.

A carta que o idoso escreveu antes de morrer

“O que você pensa quando me vê? Você vê um homem doente sem desejo de viver? Ou você apenas vê um velho um pouco desajeitado que tem hábitos desprezíveis e olhos distantes, cuja comida cai de sua boca e não responde? Você sempre tenta me fazer comer e diz em voz alta, pelo menos tente comer!  Sou alguém que perde a meia e os sapatos, quem quer cuidar de mim, um velho que vive entre o banheiro e as refeições? E tudo isso com o propósito de encurtar a duração de seus dias. Você pensa nisso quando me vê? Abra os olhos e olhe para as enfermeiras…  Elas não olham para mim. Agora sou um velho sem forças, a natureza é cruel e não perdoa. Todos te olham com desprezo, como se você fosse alguém inepto e inútil.

Eu vou lhe dizer quem eu realmente sou, sou um recém-nascido que tem que ser alimentado pela mãe. Sou um menino de 10 anos que tem pai, mãe e irmãos que se amam muito. Tenho 16 anos com muita energia; que sonha em encontrar a mulher de sua vida.  Eu sou um namorado de 20 anos com um coração pulsante para uma senhora, eu sou aquele que se casou aos 24 com sua pessoa especial. Sou um jovem pai criando filhos que já estão com 30 anos e crescendo rápido, mas faço o meu melhor para passar tempo com eles. Nos meus 40 anos, eles já são pré-adultos e ainda estão crescendo, alguns até saíram de casa, outros estão prestes a se casar, mas minha querida esposa está sempre ao meu lado. Aos 50 anos tenho um bebê nos braços, a alegria de ser avô é imensa. As crianças brincam entre minhas pernas e se divertem. Aos 60, vieram dias tristes para minha vida, minha querida esposa morreu.  Só posso olhar para o futuro com medo; meus filhos fizeram a vida deles, meus netos também, então penso nos anos passados, quando conheci o amor. O amanhã para mim é escuro, não tem alma e tem forma de dor e abandono”.

A lição que ficou

Com a carta emocionante deste homem que morreu muito solitário em um asilo, podemos também ver o que muitos idosos realmente sentem e pensam, lembrando sempre quem eles eram e o que eles viveram. Mas, infelizmente, existem muitas famílias que hoje são insensíveis e não querem saber mais dos seus velhos familiares e dos sentimentos destes. Preferem simplesmente colocá-los em casas de repouso, condenando-os à solidão até a morte chegar.

Redação

34 anos e cursando jornalismo em SP, já trabalho com notícias por aproximadamente 10 anos. Aqui cubro todas as notícias sobre o transito, capitais do país, reality shows e diversos assuntos diferentes. Email: [email protected]