Início » Mulher é esfaqueada até a morte e antes de falecer revela aos bombeiros o nome do autor do crime
Notícias

Mulher é esfaqueada até a morte e antes de falecer revela aos bombeiros o nome do autor do crime

Uma mulher acabou falecendo na última segunda-feira (15) logo após ter sido esfaqueada oito vezes e pular de um carro ainda em movimento na avenida Nilo Peçanha no Parque Santo Amaro, para tentar salvar a sua vida na cidade de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, no Norte Fluminense (RJ).

A vítima do ocorrido é a técnica de enfermagem Kissila Gaudard Paineiras, de 32 anos, que enquanto estava sendo socorrida pelos bombeiros revelou que o autor das facadas tinha sido seu próprio marido, Guilherme Maciel, de 35 anos que trabalha como motorista de aplicativo. A vítima foi golpeada no mínimo oito vezes e teve perfurações no abdômen e no tórax, pulou do carro na Avenida Nilo Peçanha, no Parque Santo Amaro. A mulher chegou a ser levada pela equipe do Corpo de Bombeiros para o Hospital Ferreira Machado, mas não resistiu aos ferimentos causados. O suspeito fugiu, mas acabou preso no fim da noite.

De acordo com informações, os dois eram casados há apenas três meses, e a vítima já tinha três filhos do seu primeiro casamento. Segundo a polícia, o crime aconteceu depois que o marido foi buscá-la no local onde trabalha na manhã desta segunda. Em flagrante, Guilherme Maciel foi preso em um canavial em Travessão de Campos, distrito de Campos dos Goytacazes que é próximo de onde tinha acontecido o crime. No mesmo local, o veículo em que o casal estava foi encontrado carbonizado.

Até o momento, o motivo do crime ainda não foi esclarecido. O suspeito será ouvido nos próximos dias e poderá responder pelo crime de feminicídio. O delegado Ronaldo Andrade Cavalcante, titular da 134ª DP (Campos).  declarou que a prisão só foi possível visto que antes de morrer, Kíssila conseguiu dizer para os bombeiros que o autor do crime teria sido seu marido.

Veja Também:  Milionário comemora nascimento de filho que teve com ex-namorado de sua filha

Nas redes sociais, vários amigos e familiares da enfermeira assassinada publicaram homenagens à Kíssila e pediram por justiça.

“É inadmissível continuar todos os dias a ver notícias de feminicídios, é preciso mudar imediatamente essa crescente, o Brasil ocupa a 5ª posição no mundo em crimes de feminicídio. Que Deus conforte o coração da família e dos amigos. Nossa eterna 02 era cheia de vida, alegre, uma profissional incrível, pessoa querida por todos”, diz uma postagem feita pelo Grupo de Resgate Voluntário, do qual Kíssila participava.

 “Apelamos que as autoridades sejam céleres, para elucidar o caso e prover a merecida punição ao criminoso. Basta de violência contra a mulher.”