Início » Adolescente que confessou matar garota de 14 anos tem um triste fim
Notícias

Adolescente que confessou matar garota de 14 anos tem um triste fim

Parece que os manifestos realizados pelos moradores no velório da menina de 14 anos começaram a surtir efeito, pois o garoto que confessou o crime teve um triste fim após decisão judicial. Após o caso repercutir em todo o país e várias pessoas se manifestarem revoltados com o caso a justiça tomou uma grande decisão.

Na tarde desta sexta-feira dia 12 de fevereiro, foi divulgado que o garoto de 15 anos de idade irá ser encaminhado para um centro socioeducativo assim que passar pelos exames de corpo delito. Apesar dele ter confessado esse terrível crime a Polícia ainda suspeita que esse assassinato tenha a participação de pelo menos mais um adulto.

Segundo as informações das pessoas que viram a menina pela última vez, esse garoto estaria acompanhado de um homem completamente estranho de todos. A cidade é pequena e praticamente todos conhecem todo mundo, porém esse homem seria estranho do conhecimento das testemunhas que afirmam terem visto a menina pela última vez.

Um relato importante é que esse garoto de 15 anos que também estaria desaparecido desde segunda feira, foi visto próximo a garota instantes ela sumir de vez. E após seu corpo ter sido encontrado pela polícia ele confessou o crime, vamos aguardar mais informações sobre o caso já que a polícia ainda segue as investigações a procura desse homem que supostamente também estaria ligado a morte de Ana Camille.

Infelizmente para a família da garota nada trará ela de volta, mas o sentimento de que o verdadeiro culpado possa pagar pelo seu crime é grande. Somente com a notícia de que o verdadeiro assassino foi pego poderá amenizar um pouco a dor dessa terrível perda.

Pois só para quem passou por algo assim sabe o que é esse terrível dor, de ver uma menina tão linda que tinha uma vida toda pela frente ser morta de uma maneira tão cruel e covarde.

Veja Também:  Brasil: 375 casos de síndrome infantil que pode estar ligada à sequelas de Covid-19