Início » Urgente: rapto de Fabíola pode estar relacionado a tráfico humano
Notícias

Urgente: rapto de Fabíola pode estar relacionado a tráfico humano

O caso do desaparecimento da menina Fabíola de apenas 4 aninhos mobilizou o Brasil. A família de Fabíola estavam desesperados para saber o paradeiro da menina que foi raptada de dentro de casa. Um caso inexplicável visto que nem dentro de casa estamos seguros.

Na manhã deste domingo tivemos uma enorme surpresa, a menina foi encontrada com vida! Graças a Deus, o trabalho da Polícia e a sociedade que contribuíram com informações para ajudar nas investigações.

Fabíola foi encontrada numa casa na cidade de Ilha Norte em Santa Catarina. A preocupação é angústia da família era muito grande pois a menina recentemente tinha passado por uma cirurgia e precisa tomar medicação controlada pelo menos três vezes ao dia.

A mãe de Fabíola estava se recuperando pois foi esfaqueada pelo casal e precisou ficar internada, hoje a notícia de que Fabíola estava livre das mãos desses bandidos gerou uma alegria enorme, não só para família como para a população que esperava por um final feliz.

Até quando vamos ter crianças sendo sequestradas, raptadas ou vivendo abusos?

O casal foi preso nesta manhã e verdades estão vindo a tona. Por que eles raptaram Fabíola? Qual era a intenção? Para que?

A Polícia continua investigando o caso, mas tudo indica que o casal fazia parte de rituais macabros. Na cena em que Fabíola foi encontrada havia muitas bonecas sombrias.

No perfil do Facebook do casal foi notado algo muito estranho e inacreditável, eles vendiam bonecas. Tudo leva a crer que o casal tem ligação com o tráfico humano de crianças.

Será que o casal raptava crianças para vendê-las ? Graças a Deus a menina Fabíola conseguiu ser resgatada a tempo, ou algo pior poderia ter acontecido.

Veja Também:  Veja como ficou a jovem que passou três anos sem se depilar

Imagino o desespero da mãe dessa menina, vamos continuar orando para que pessoas como essas sejam pegas e paguem pelos crimes cometidos e que mais mães não sofram o que essa mulher sofreu.