Início » Jovem que orou ao entregar currículo tem surpresa e revela o motivo
Notícias

Jovem que orou ao entregar currículo tem surpresa e revela o motivo

A imagem de um jovem orando após entregar um currículo tem repercutido a imagem visualizou no Facebook e causou comoção na sociedade. Com a pandemia do novo coronavírus muitas pessoas estão ficando sem empregos e aquelas que realizam trabalho alternativo não conseguem vender, devido ao isolamento social.  Mas afinal quem é o jovem e o que aconteceu após o ato?

O rapaz que se ajoelha orando após entregar seu currículo em uma rede de supermercados em Balsa (MA), se chama Alamartiny da Silva Ferreira. O jovem possui 23 anos e vendia morangos, ele queria muito um emprego de carteira assinada para melhorar de vida financeira.

A imagem repercutida foi flagrada pelo vigilante do local que estava observando a cena, o vigia tirou a foto e mostrou aos responsáveis. Imediatamente o RH pediu o currículo, chamou Alamartiny para entrevista e pediu que começasse no dia seguinte.

Mas infelizmente devido a pandemia pelo novo coronavírus e a paralisação do comércio a empresa teve que voltar atrás, desistindo da contratação do jovem.

Por enquanto estou revendendo os morangos na rua, mas as pessoas não estão mais saindo de casa, eu até falei para a minha mãe também não sair, ela é idosa e tem problemas de saúde”, disse.

O rapaz sempre trabalhou nas fazendas da cidade e mora com a namorada sogros e cunhada. Seu sogro trabalha com fretes e o sonho de Alammartiny é trabalhar de carteira assinada. Para ajudar o menino que não conseguiu o emprego e também não estava conseguindo vender os morangos, foi lançado uma vaquinha na internet para ajudar neste momento difícil e o dinheiro arrecadado foi utilizado para sustentar a família enquanto não conseguisse o emprego.

A arrecadação de fundos chegou a mais de R$ 20 mil e o jovem agradeceu a todos em um vídeo emocionante, veja no final da matéria. Atualmente o jovem conseguiu emprego e contou estar muito feliz.

“Graças a Deus trabalhando todos os dias!”, disse.

 

Veja Também:  'Não podem andar de moto só porque são pretos?' diz mãe de jovens mortos após blitz de policiais no RJ